quarta-feira, 17 de julho de 2013

• A voz dos muros - V

"Eu nem sequer gosto de escrever. Acontece-me às vezes estar
tão desesperado que me refugio no papel como quem se esconde para chorar. E o mais estranho é arrancar da minha angústia
palavras de profunda reconciliação com a vida."
- Eugénio de Andrade

Nada mais há a dizer… Vejo nestas palavras a minha própria imagem no espelho, tão nítida...

Nenhum comentário: