sábado, 9 de março de 2013

• A carne é fraca!...

E assim, sem mais de repente houve esta bolha que rebentou. Andámos todos a comer uma coisa pensando que comiamos outra.

Primeiro, foi num supermercado no Reino Unido. Numa dada marca de comida congelada, a Findus, que até é (era) conceituada e aparentemente digna de confiança, foi descoberto que na lasagna, que era suposto ser feita com carne de bovino, havia em vez disso carne de cavalo. Que os britânicos não soem consumir. Nem apreciar lá muito que qualquer povo tenha esse costume bárbaro de ser capaz de devorar um bicho tão kiduxo como o Jolly Jumper*.

Depois, a coisa alastrou-se. Não era só numa cadeia de distribuição alimentar, nem numa só marca. Nem só em lasanhas, mas também em almôndegas (sobretudo suecas, dessa big global corporation que é o IKEA, que vergonha!…), hamburgers e toda uma gama de produtos processados em que a carne de bovino é o ingrediente principal.

Aqui no meu país, onde a carne de cavalo sempre foi consumida, embora não largamente, chegou-se a suspeitar que até os talhos mais pequenos de bairro falsificassem deste mesmo modo a carne picada de bovino vendida a granel, previamente embalada. Mas creio que isso não deu em nada. 

Parece então que esta fedorenta marosca existiu apenas ou sobretudo em alguns - vários de mais, para o meu gosto - fabricantes maiores de comida congelada deste ocidente europeu, que se iam abastecer de matéria-prima - a bela da chicha de vaquinha - principalmente na Roménia. Terreno fértil para os maiores falcatrueiros da U.E., União Europeia, ao qual a antiga Dácia se juntou, recentemente. Refiro-me aos patrões da indústria alimentar em França. Que foram contaminar os romenos com lições de capitalismo selvagem. Estes gajos, se não nos cuidamos, ainda ficam melhores que nós um dia…

Cadeias de fast food como a McDonald's estão a passar incólumes no meio desta escandaleira. Vá-se lá saber porquê, questionou-me eu... 

Mas o que mais me faz coçar a cabeça são perguntas não colocadas pelos media que vomitaram esta história toda**. Tais como:
  • Como foi possível esta merda tão grosseira ter acontecido a esta escala? É que se tivesse sido apenas um fabricante… Mas não. Foram montes deles!…
  • Mas então ninguém andava a fiscalizar estes ordinários destes cabrões, que não têm outro nome?… Quer dizer, até podemos andar a comer carne de ratazanas, que ninguém vigia?…
  • Como é que eu posso ter novamente confiança que um rótulo num qualquer produto alimentar diz realmente a verdade sobre a sua composição?…
  • Como é que os cérebros na origem desta tramóia toda acreditaram um dia talvez que isto nunca seria descoberto?
  • Porque será que eu acho que toda a gente - e sublinho TODA - neste métier, os fabricantes de comida congelada - os mais e os menos desonestos, que não há ninguém inocente, concerteza - deveriam saber bem desta porcaria - ou melhor dito, cavalaria ou cavalgadurice - que nos andavam a fazer?... Até me atrapalhei todo a redigir esta pergunta...
  • Porque será que este segredo bem guardado passou a ser de polichinelo? Porquê agora, e de repente? E há quanto tempo esta droga durava?… 
E agora a pergunta de um milhão de dólares é:
  • De que raio de trampa ainda pior é que esta história toda nos quer distrair???… E quem é que puxa os cordelinhos de toda a gente? Hein?...
________________________________________________________

* Que, para quem não sabe, é o cavalo de Lucky Luke. O quê, também não sabeis quem é o famoso lonesome cowboy da banda desenhada???… Mas p'ra que raio querem vocês ter net?… Ide ao Google, carago!  

** Compadres leitores deste blog… vocês não têm tantas vezes a mesma sensação de que este escriba que eu sou é possuído que os jornalistas - genericamente falando desta classe profissional - são uns toscos e não sabem pôr as questões mais pertinentes?…

Nenhum comentário: