domingo, 11 de outubro de 2009

• Como eu votei

Hoje votei para a Presidência da Câmara Municipal de Odivelas em Hernâni Carvalho. Apesar de alguns detalhes que me desgostaram nesta campanha, mantive a determinação que tinha de pagar para ver alguém diferente à frente do meu município. Alguém que parece que é mesmo escolhido por mim, por todos nós, e não por um aparelho partidário em nosso lugar.

(fonte da imagem acima: Folheto de candidatos da Junta de Freguesia de Ramada)

Para a Assembleia Municipal, obedecendo à lei das compensações que o povo amiúde e sagazmente segue, continuo a depositar confiança no PS. Isto porque uma das coisas que me desgostaram foram as arruadas - palavra tão em voga nestas campanhas recentes - feitas com os "jovens" de t-shirt azul escura com o nome do seu candidato ao peito, mostrados na foto em cima, à laia de parada de claque de clube de futebol, com gritaria tribal em tom provocatório das claques das facções adversárias. Não quero que o meu voto sirva para dar emprego a estes "bébés" nem que os meus impostos um dia os sustentem.

Por fim, votei para a Junta de Freguesia no Bloco de Esquerda. Mais uma vez, para não pôr os ovos todos no mesmo cesto. E porque me cativou um cartaz do Bloco que vi ontem, não no meu concelho ou freguesia, mas na Ericeira. O puto que vi nesse cartaz tinha cara de g'anda bacano. E proclamava que queria ser parte da solução. É um chavão já gasto pelos gurus de gestão de empresas e ainda não o tinha visto associado a um ideal de esquerda.

Houve ainda mais uma razão para esta minha escolha singular: a minha filhota vive num município gerido por uma autarca do BE...

OK, no seu conjunto, estas minhas escolhas não aparentam ter tido muita racionalidade. Mas talvez seja assim que muitos de nós votamos.

Não encontrei uma imagem desse dito cartaz visionado nas ruas da Ericeira que aparecesse na web, mas aqui vai em seu lugar outro cartaz do BE em baixo:
(fonte da imagem acima (retocada): blog "Portugal minha terra meu país")

Já que inseri este cartaz aqui, calha mesmo enfiar também esta questão retardada, que já devia ter sido metida antes do fim da campanha para a Assembleia da República: reinvidicar "Justiça na Economia", como que a pedir protecção para os mais fracos, não vos parece o mesmo que pedir que uma partida de rugby seja jogada sem porrada, para que os mais enfezados não façam dói-dóis?

Nenhum comentário: