sexta-feira, 21 de agosto de 2015

• A voz dos muros - XIV

Ontem, num pequeno mas bravo país* europeu celebrou-se o dia da chamada “Singing Revolution”.

Eu que sempre pensei que a revolução mais hippie que alguma vez houve neste mundo dos humanos era a do meu país… 

Desperto agora, devido a uma recente paixão que me arrebata o sono, que outro povo valente há que também teve a sua revolução não-violenta e extraordinária.

Os filhos das revoluções também se apaixonam. Não sujam os muros apenas com duras palavras de ordem. Contra aquelas forças que nos dominam. Não.

Também têm corações que pulsam. Também têm olhos para a beleza deste mundo. Que fica mais belo com a existência nele de certos seres. E aqui está a prova disso, com a foto acima a mostrá-lo.
______________________________________________________

* Que se vai tornar também meu, um dia, quiçá…

Nenhum comentário: