segunda-feira, 9 de maio de 2011

• Zen...

Nestes tempos que correm, de FMI's, de troikas, de eleições intercalares que se avizinham, de guerras fraticidas no Magreb, que podem ser rastilhos acendidos em direcção a estáticos barris de pólvora...

Nesta era de um presidente dos States, moreninho, chamado Hussein, que se vangloria perante o mundo inteiro de ter dado a ordem final de assassinato de um alegado monstro - como alegadamente existentes eram também pelos seus precedentes pares as armas de destruição maciça desse outro monstro, Saddam, com o mesmo apelido começado em H -  cuja lenda foi construida, divulgada e "vendida" ao mundo, qual Odisseia negra, não pelos - mais uma vez - alegadamente numerosos partidários desse inimigo imáginário, esse Obama, perdão, Osama bin Laden, mas pela intelligence americana...

Nestas horas actuais, que nem sei se conturbados, em que eu julgo que I couldn't care less, de tal modo ando alheado daquilo que ao meu redor se passa e que me deveria afectar, assalta-me esta dúvida socrática: será que é bom estar assim?...

Apesar dessa questão filosófica introspectiva me ocupar um pouco os pensamentos, o facto no entanto permanece. Je suis totalement ailleurs.

Sinto-me velho. E a pregar sempre e cada vez mais sozinho. Mas... como uma voz minha amiga dizia amiúde... Zen!

Nenhum comentário: