domingo, 7 de março de 2010

• Era uma vez...

E agora uma história infantil, para os petizes e petizas que forem superdotados, pois só estes cidadãos de tenra idade e desta condição intelectual vão ler com atenção as seguintes palavras da lenga-lenga que a seguir se vai em baixo desmontar:


Lá para o meio do tempo de antena que lhe concederam generosamente, a senhora jornalista Manuela Moura Guedes, personagem plena de carisma que desperta universalmente simpatias mil dos demais de volta para si, contava aos deputados da nossa nação que lhe teriam dito...


(A senhora hesitou em continuar o seu inspirado relato, pois teria de envolver pessoas que não sabia se deveria nomear... mas vá lá, atirou-se de cabeça e continuou a sua alucinação.)


...que lhe teriam dito que o sr. Francisco Pinto Balsemão teria dito a um intermediário... sim, que o dr. Pinto Balsemão é um cavalheiro, nas palavras da própria sra. jornalista, e este nunca lhe iria dizer isto directamente a ela, fazia falta meter aqui o tal intermediário. O tal que lhe teria relatado que José Sócrates teria telefonado ao Rei de Espanha, Don Juan Carlos, a pedir-lhe o frete de falar com o director da Prisa, empresa espanhola de media, detentora da TVI, para este último depois falar com o director desta dita TVI para este afastar a sra. jornalista da sua função de apresentadora do Jornal de Sexta desta estação de televisão, modelo exemplar de informação. Era mais ou menos isto...


Quer-se dizer... a ver se eu percebo. Hum... querem mesmo que eu acredite nesta historinha? Oh dona Manuela, agora é que é caso para se gritar:


"¿Porqué no te callas?..."

Nenhum comentário: