sábado, 25 de abril de 2015

• Como uma Fénix

Sim, hoje estamos sangrando. Mas havemos de lamber as feridas. E nesse dia em que nos levantarmos todos juntos, uma vez mais, ides tremer, ó cambada de bundas moles escravos do vil metal!... E ladrões do verde da esperança...

Não ireis mais dormir descansados, com o medo de que acordemos!...

Nenhum comentário: