sábado, 12 de abril de 2014

• Anedotário Rasca - III

Andando a vasculhar nos meus arquivos digitais, em busca de lenha para alimentar esta novel rubrica, Anedotário Rasca, deste blog cuja manutenção está a ser deveras negligenciada pelo seu autor, eu… Descobri esta velha anedota corporativista, a que se vai seguir a respectiva narração neste presente post.

Eu segui uma vocação que me fez cursar engenharia, onde me formei vai para quase 30 anos. E ainda bem. Detestaria que a minha vocação fosse alguma vez economia!… 

Os engenheiros devem na sua maioria ser cidadãos com valores de esquerda. Enquanto os economistas serão à direita. Os engenheiros são criativos. Os economistas são copistas, e mal!…

Antes, isto aqui na Tugalândia era governado por engenheiros e as coisas não corriam assim tão mal. Comparando com o que os cabrões dos economistas nos fazem passar agora! E por isso, aqui vai a minha vingançazinha. Vamos lá à tal anedota… 

ENGENHEIROS vs. ECONOMISTAS

Numa estação da CP estavam três engenheiros e três economistas à espera de apanhar um comboio para ir a uma treta dum congresso. Os três economistas vão até ao guichet e compram três bilhetes. A seguir vão os três engenheiros e só compram um bilhete. Os economistas ficam espantados e perguntam: 

- Como é que vocês são três e só compram um bilhete?… Não têm hipótese de fazer a viagem e passar o mesmo bilhete para os três!

- Não se preocupem, vocês já vão ver - respondem os engenheiros. 

Mal entram no comboio, os três engenheiros dirigem-se à casa de banho e apertam-se lá dentro o melhor possível de maneira a fechar a porta. Quando vem o revisor, pica os bilhetes dos economistas, vê a luz da casa de banho acesa, bate à porta e diz: 

- Bilhete, por favor!

A porta abre-se só uma frestazinha, através da qual sai uma mão com o bilhete. O revisor pica-o, agradece e segue. Os economistas acham a ideia fantástica. 

- Temos que fazer esta cena no regresso. Aqueles filhos da mãe dos engenheiros são uns génios!…

No dia do regresso os três economistas compram apenas um bilhete enquanto os engenheiros não compram nenhum! 

- Como é que vocês vão viajar sem bilhete??? É impossível!!!…

- Vocês vão ver. Está tudo sob controle - retorquem os engenheiros. 

Quando entram no comboio, os economistas trataram de imitar os malandros dos engenheiros, espremem-se todos para dentro de uma casa de banho, não sem algum desconforto, e fecham a portinha.
Os engenheiros fazem o mesmo na casa de banho em frente. Passado nem um minuto, sai um dos engenheiros da sua casa de banho, bate à porta da casa de banho dos pobres economistas e diz:

- Bilhete, por favor... 

2 comentários:

Clara Sol disse...


Amigo Giuseppe.
Piada muito inteligente, mas muito boa.
Diria que não sou loura, demoro em pegar a ideia e só no tranco é que depois rio. Mas que foi de astúcia esta piada foi..rsrsrsrs.
Grata por e estou por aqui a buscar posts, pois se tem um defeito é de ser curiosa e gostar partilhar com amigos.
Abraços sempre. ClaraSol

Giuseppe Pietrini disse...

ClaraSol, minha mui nobre e novel amiga,

Eu é que sou grato aos deuses por ter encontrado você. Tenho um feeling que nós dois somos muito semelhantes no sentir.

Leio suas palavras, tanto aqui neste meu (e seu, a partir de agora) blog como noutras redes sociais e sinto uma coisa que escorre destas, sempre: doçura.

É curioso que você tão cedo já me fez crescer uma consciência de que… Eu sou um cara cheio de sorte. Porque me vejo hoje como sendo um farol que atrai muita gente bonita. Como você. Gente que eu aprendo a amar instantâneamente. E eu julgo que o destino tem planos para mim: vou ser para sempre só. Afim de poder amar não apenas uma pessoa mas muitos seres humanos lindos, em simultâneo.

Eu acho que já amo um pouco você, minha amiga. E digo um pouco não por ser você. Mas antes por mim, que não me posso dar ao luxo de deixar em rédea solta o meu coração.

Beijim! ;-)
Giuseppe