sábado, 6 de outubro de 2012

• Adriana Xavier

Cá vai um resumo do que aconteceu de deveras realmente importante - e quiçá original, que sempre é melhor ainda... - no passado mês de Setembro na vidinha política da nossa pobre e enxovalhada nação… isto na minha rasca perspectiva pessoal.

Adriana resolveu participar nas manifs. À sua maneira, demarcando-se com uma atitude individualista. Segundo alguns, que trataram mais tarde de a vergastar nas redes sociais, desolidarizando-se dos nobres objectivos de um suposto colectivo. Em boa verdade, uma amálgama de mentes quase dementemente reunidas em torno de uma vontade de gritar para não ficarem caladas.

E o que fez a nossa piquena? Tão-só afirmar que o importante é o Amor. E eu digo: "É verdade! A miúda tem razão…". É que já Gilbert Bécaud, esse kota gaulês, que gramou com o venerado Maio de 68, em anos idos nos lembrava isso.

Mas a inteligência da nossa praça pública está definitivamente cega. E "democraticamente", como convém, só admite os protestos em uníssono carregados de ódios. De lutas de classes. Corporativos. Militantes. Não tolera qualquer ruído que distraia o povo do essencial das suas reivindicações. Nem sob a forma da inocência de uma adolescente de coração puro.

Nenhum comentário: