quarta-feira, 27 de julho de 2011

• Essa coisa chamada Moody's

Ando voluntariamente desligado de toda a realidade, mesmo desde antes das últimas eleições parlamentares. 

Não tenho puto de interesse em acontecimentos políticos ou sociais hoje em dia. Mas há sempre qualquer coisinha a fazer-nos cócegas ao bestunto, claro. E só por isso vou discorrer sobre o fenómeno Moody's...

Gerou-se p'rái uma onda de indignação pátria porque essa coisa chamada Moody's, que parece que é uma "agência de rating", seja lá o que isso fôr, que eu de economia pouco quero saber... - pareceu-me, talvez, ou serei só eu, com a minha picuinhice, que dum momento p'ró outro os entendidos lusos nessa área surgiram de debaixo do chão em grande número!... - teve o desplante de classificar o activo Portugal como... lixo.

Claro, os tugas desataram logo todos - menos eu... - a vociferar contra esta agência. Como se percebessem todos de repente de economia a potes. 

Para mim, que tenho a mania de pensar, não sei se bem ou mal, vi isto como uma atitude típica de menino com mimo a mais que estava a ser reprendido por um mestre. Sei bem que nada é tão simples assim, mas bom...

Depois, detestei a hipocrisia. Antes, quando alguma agência de rating - como creio que a Standard & Poor's (literalmente, normal e pobre...) o fez - servia para reforçar o velho e burgesso queixume "a culpa é do Sócrates!", aleluia, que até os americanos nos estão a dar razão.

Agora, que os aprendizes de feiticeiro Pedro Passos Coelho & cia. lda. - oxalá atinem, espero eu... - estão a inventar cum'ó caraças e ainda vão lixar isto ainda mais do que o antigo bode expiatório terá lixado... os gringos já são uns cabrões (bodes mais do que expiatórios) da pior espécie. Lindo!...

É o povo português no seu melhor...

E ainda ninguém disse, expressando-se na língua de Camões, que os gajos da Moody's estão certos. Mas alguém com juizo quer emprestar dinheiro a nós, estado português? Só se não tiver ninguém mais de confiança a pedir-lhe uns cobres. E em desespero de causa resolva emprestar, mas cobrando juros com língua de palmo. Como essa outra coisa da troika, ou lá o que é isso... FMI e restante confraria de la plata. Que é um saco sem fundo.

Eu vou ali e já volto... isto tá entregue aos bichos!...

Desculpem-me, meus pares lusitanos, mas tenho andado possesso...

Nenhum comentário: